"Oh eu, oh vida
das perguntas sempre iguais
Dos intermináveis comboios de descrentes
Das cidades abarrotadas de idiotas
O que há de bom no meio disso
Oh eu, oh vida?
Resposta:
Está aqui
A vida existe e a identidade
A pujante peça continua
e podes contribuir com um verso

Qual será o seu verso?